A primeira chamada do Itacoatiara Big Wave acontece na chegada do maior swell  do ano na região Sudeste com séries variando entre seis e sete metros.
Surfistas consagrados mundialmente  e que concorrem ao Oscar das ondas grandes  entraram no mar em condições extremas e em alguns momentos com ajuda de jet ski
A primeira chamada do Itacoatiara Big Wave (IBW), aconteceu oficialmente ontem, dia 13/6 e o tamanho e potência do mar surpreendeu até  mesmo os organizadores do campeonato. Com ondas que alcançaram séries de seis  a sete metros  e ventos  muito fortes, muitos atletas entraram no mar com auxílio de jet ski pela Praia de Itaipu para conseguirem chegar ao local aonde as ondas eram surfadas. Nomes como Gabriel Sampaio , Felipe Cesarano, Kalani Latanzi William Santana e Michaela Fregonese entre outras feras    encararam a potencia das ondas, já consideradas pelos organizadores como  as maiores  já surfadas em Itacoatiara.
 Os  atletas começaram a entrar na água por volta  das 7 horas, momento em que o mar tinha muito tamanho e ventos favoráveis.
 “Mais tarde com fortes correntes e séries enormes quebrando com pequeno intervalo de tempo entre elas alguns atletas não estavam conseguindo entrar no mar. Nesse momento por razões de segurança tivemos que montar toda uma logística  com os jet ski para colocar os atletas em segurança no mar a partir da praia de Itaipu navegando com eles até o costão de Itacoatiara. Foram algumas idas e vindas até que todos pudessem ser levados até o local que as ondas estavam sendo surfadas. Apesar dos desafios e dificuldades, o IBW teve um início histórico”, explicou o idealizador da prova, o presidente da Associação de Surf de Ondas Grandes e Tow In de Niterói, Alexey Wanick, que comemora as condições oferecidas por Itacoatiara para a prática desse tipo de esporte.
 Alexey explicou ainda que   organização optou por fazer o trasnslado dos atletas de Jet Ski quando perceberam que Kalani Latanzi  um experiente surfista estava com dificuldades de entrar varar a arrebentação.
Para ele o balanço do primeiro dia foi muito positivo pois a  primeira chamada aconteceu no maior Swel do ano em condições extremas para a prática do surf sem a ocorrência de acidentes.
 No primeiro dia do IBW/2022, o niteroiense Gabriel Sampaio entrou três vezes no mar e conseguiu surfar uma onda de cerca de  seis metros.
“ Surfar em Itacoatiara é sempre um grande  desafio e, hoje, o mar estava bem grande e muita potencia. O vento virou  e a previsão se confirmou , então, foi um grande desafio entrar remando  e varar a arrebentação. Consegui pegar três ondas muito boas e estou muito feliz com esse início do campeonato.  “ disse o surfista .
 A competição é aberta a qualquer surfista que, para se inscrever, deve enviar vídeos das ondas surfadas para a organização do evento. Após o encerramento da janela, previsto para 31 de agosto, as ondas serão julgadas por uma comissão de arbitragem profissional, utilizando os critérios da Liga Mundial para o surfe de ondas grandes. Serão, no total, até quatro chamadas para as sessões de surfe válidas para competição. O evento terá cobertura no Instagram no perfil @itacoatiarabigwave e também no portal Waves (www.waves.com.br). Surfistas da elite do surfe de ondas grandes estão disputando a premiação de R$ 100 mil, em janela que vai até  31 de agosto.
 “ Encaramos ondas de cerca de 15 a 20 pés de parede,  o equivalente de seis a oito metros. Cheguei a passar mal e a pensar em desistir, mas resisti. Hoje foi o mar mais extremo que já surfei na vida”, afirmou a surfista  veterana.
Kalani Latanzi  confirmou que as correntes estavam fortes mas disse que conseguiu se superar.
 “ Peguei duas ondas, não tenho ideia do tamanho, mais de 4 a 5 metros, com certeza. Tentei mais cedo entrar pela pedra, caí, rasguei a roupa de borracha e desisti de entrar por ali.  As correntes estavam muito fortes, mas graças a Deus, não quebrei a prancha. Saí do mar com onda surfada e alguns arranhões. Itacoatiara tem as ondas mais pesadas do mundo e, hoje, surfei a maior de todas já surfadas nessa praia. A organização é formada por uma equipe classe A e, especialmente com o mar nessas condições, se superaram, estão de parabéns.” afirmou o surfista .

Para Paulo Novaes, Presidente da Neltur, apresentadora do evento, a cidade é vocacionada para os esportes realizados no mar: “Niterói tem vocação para se realizar esportes náuticos, como bodyboard, o surf e a vela e, a praia de Itacoatiara, com suas ondas grandes é apropriada para eventos como este que impactam diretamente o turismo da cidade movimentando sua cadeia econômica, envolvendo assim seus polos hoteleiros, gastronômicos e de moda”, destacou Novaes.

O Itacoatiara Big wave é apresentado pela Prefeitura de Niterói, através da Neltur – Niterói Empresa de Lazer e Turismo, da Secretaria de Esportes e Lazer de Niterói, Secretaria do Clima de Niterói, com apoio da Predialnet, Mafia Cervejaria, Galeria Surf e Enel Distribuidora Rio.
O Secretário Municipal de Esportes e Lazer, Luiz Carlos Gallo, relembra que Niterói cada dia mais se reafirma como celeiro de atletas de qualidade em diversas modalidades, entre elas, o surfe.
“Niterói é um celeiro de atletas e tem a tradição de sediar diversos eventos esportivos. É uma cidade que respira esporte. Pesquisei para entender como funcionava esse tipo de esporte para adaptá-lo para nossas praias e dar apoio na organização dos torneios de ondas gigantes na cidade. E, mais uma vez, com certeza, teremos a presença de atletas consagrados mundialmente disputando provas de surfe em Itacoatiara”, afirma.

Foto de Tony D’Andrea | Surfista Kalani Lattanzi

Compartilhe em suas redes sociais
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter